10 covers que superam os originais - Parte 1

Algumas músicas fazem tanto sucesso e tornam-se tão emblemáticas que fica difícil dissociá-las dos cantores/grupos que deram voz a elas. Mas muitos desses hits foram compostos e até lançados bem antes de estourarem nas paradas de sucesso. Nem sempre a primeira gravação de uma canção consegue emplacar. No entanto, quando regravadas e interpretadas por outros artistas, a canção pode virar uma verdadeira máquina de sucesso. É o caso dessas 10 músicas que selecionei. Aqui vai a primeira parte:

(They Long to Be) Close To You
Original: Richard Chamberlain (1963)
Regravação: The Carpenters (1970)
Uma das composições mais conhecidas e famosas de Burt Bacharach e Hal David. O primeiro a gravá-la foi o ator Richard Chamberlain, famoso por séries clássicas da TV como Dr. Kildare (1961-66), Shogun (1980) e Pássaros Feridos (1983), além de filmes como O Conde de Monte Cristo (1975) e O Homem da Máscara de Ferro (1977). Quando foi lançada em compacto por Chamberlain, não havia os parênteses no nome. Era They Long to Be Close to You. Não causou grande impacto. Mas quando os Carpenters a regravaram sete anos mais tarde, a música tornou-se o hit que catapultou a dupla de irmãos para a fama mundial ao longo daquela década. Ficou, assim, imortalizada na voz de Karen Carpenter.



Respect
Original: Otis Redding (1965)
Regravação: Aretha Franklin (1967)
Composta, gravada e lançada por Otis Redding, a canção só virou hit dois anos depois, quando foi gravada por Aretha Franklin. O próprio Otis admitiu que não pôde mais cantar a música depois da gravação de Aretha, que se tornou hino não apenas de uma época, mas de toda a carreira da cantora. Em 1968, ela recebeu dois Grammy Awards por Respect. Os novos arranjos e a interpretação única fizeram com que a faixa fosse considerada um dos melhores vocais feminos já gravados. 



Mac Arthur Park
Original: Richard Harris (1968)
Regravação: Donna Summer (1978)
O ator e cantor Richard Harris foi o primeiro a gravá-la. No final dos anos 60, vários artistas a regravaram, mas nenhum foi tão bem sucedido quanto Donna Summer e sua versão disco da canção, lançada no auge da febre das discotecas. É sem dúvida a versão mais lembrada até hoje.
Mais detalhes aqui



Bette Davis Eyes
Original: Jackie DeShannon (1974)
Regravação: Kim Carnes (1981)
Composta por Donna Weiss e Jackie DeShannon e lançada por DeShannon no álbum New Arrangement (1974), a canção não causou impacto. No entanto, quando foi gravada e lançada por Kim Carnes sete anos depois, no álbum Mistaken Identity (1981), tornou-se o maior sucesso da cantora e uma das canções mais emblemáticas da década de 1980.



The Heat Is On
Original: Noosha Fox (1979)
Regravação: Agnetha Fältskog (1983) 
Composta por Florrie Palmer e Tony Ashton, a canção não emplacou quando foi lançada na voz de Noosha Fox. Quando Agnetha, ex-vocalista do ABBA, lançou The Heat Is On como um dos carros-chefe de Wrap Your Arms Around Me (1983), seu álbum solo de estreia pós-ABBA, a música fez enorme sucesso na Europa. O compacto vendeu mais até do que os do ABBA no ano anterior.

Mais água na boca. Ou não.


A segunda parte do post De dar água na boca. Ou não.
Mais seis cartões com as receitas de aparência peculiar do Weight Watchers nos anos 70, seguidos pelos comentários hilários de Wendy McClure.

(Clique nas fotos para ampliá-las)







Jean Nidetch, fundadora dos Weight Watchers, em foto dos anos 70