Celebremos


A lista de gênios musicais brasileiros que conquistaram reconhecimento fora do Brasil não é pequena. Baden Powell, Astrud Gilberto, Marcos Valle e Naná Vasconcelos são só alguns exemplos. Reverenciados lá fora, esses artistas que fizeram nome em outros países são pouco citados aqui. Alguns são conhecidos sim, mas só de nome. Ou superficialmente.

Entre tantos talentos que figuram nesse rol, o de Eumir Deodato é um que também merece reverência. Mais conhecido como Deodato, o carioca Eumir Deodato de Almeida se mudou para os EUA no final dos anos 60.
Eumir Deodato nos anos 70
Também pianista, não demorou para se tornar um dos produtores e arranjadores musicais mais requisitados e premiados do mundo. Já trabalhou com artistas do naipe de Frank Sinatra, Aretha Franklin, Roberta Flack e Björk. Produziu centenas de discos e coleciona sucessos, ainda que grande parte dos brasileiros desconheça seu trabalho. 

Para quem ainda não ligou o nome à pessoa - ou melhor, à música - Deodato estourou mundialmente com sua versão de Also Sprach Zarathustra ("Assim Falou Zoroastro", poema sinfônico composto em 1896 por Richard Strauss, inspirado no livro homônimo de Friedrich Nietzsche). 

A introdução da sinfonia ficou mundialmente conhecida ao ser usada, em 1968, como tema do filme 2001: Uma Odisseia no Espaço (2001: A Space Odyssey), de Stanley Kubrick. Mas a versão de Deodato, lançada em 1973, tornou-se ainda mais popular. Prelude, o álbum com a música, vendeu nada menos que 5 milhões de cópias. Chegou à segunda posição da parada de sucessos americana e ficou em terceiro lugar no ranking da Billboard, a bíblia americana da música. Deodato ainda levou o Grammy de melhor performance instrumental de música pop em 1974.

Mas todo esse preâmbulo foi apenas um pretexto para falar de um dos álbuns mais emblemáticos da fase final da era disco: Ladies' Night, do grupo Kool & The Gang. A relação disso com Deodato? Simples: ele foi o produtor e arranjador do disco, lançado em setembro de 1979. Curiosamente, o Kool & The Gang já existia há bastante tempo, mas explodiu no mundo justamente com esse LP.

O álbum Ladies' Night, lançado em setembro de 1979
A faixa-título é um dos clássicos da disco music. O álbum ainda gerou outro hit, Two Hot, também bastante conhecida até hoje. O que pouca gente sabe é que Deodato foi também o produtor e arranjador de outro hit que até hoje é obrigatório em todas as festas: Celebration, também de Kool & The Gang. Lançado um ano depois, o álbum Celebrate! estourou no mundo todo no final de 1980.

O álbum Celebrate!, lançado em setembro de 1980
Para os que torcem o nariz para a disco music, esses dois álbuns do Kool & The Gang - ambos produzidos por Eumir Deodato - provam que, em meio a tanto material descartável que o som discothèque gerou, muita coisa de qualidade perdurou e manteve o frescor.

O que eu queria mesmo era falar que houve muita coisa boa na disco music sim (por mais que alguns pretensos "músicos sérios" não queiram reconhecer) e que o responsável por pelo menos duas dessas pérolas  da transição dos anos 70 para os 80 foi um brasileiro. Motivo de sobra para celebrar.

O compacto Celebration, lançado em outubro de 1980

Julia Mattos pelos olhos de Albery


Quem acompanha Dancin' Days no canal Viva já notou um novo personagem na novela: o quadro de Julia Mattos (Sônia Braga), pintado por Albery especialmente para a personagem. O presente, entregue à Julia pelo próprio artista, tem nos traços e nas cores sua marca característica. Sem falar no bicho que ele sempre retrata ao lado das mulheres de seus quadros.


Hoje o nome pode não soar muito familiar entre os mais jovens, mas Albery Seixas da Cunha, nascido em Belém (PA), foi um nome de destaque no Brasil dos anos 70. O pintor e artista plástico, famoso pelos retratos de mulheres belas e famosas, pintou várias celebridades, entre elas Princesa Caroline de Mônaco, Elizabeth Taylor, Catherine Deneuve e a Duquesa de Windsor.

Albery expôs no Rio, para onde foi ainda jovem, e em Paris, onde viveu por sete anos. Adotou vários estilos, desde retratos acadêmicos até quadros surrealistas. No Fantástico de 09/04/1978, poucos meses antes de Dancin' Days, o artista pintou o retrato de uma mulher em Copacabana e falou sobre o padrão de beleza da sociedade da época. Uma lista da Harpers Bazaar apontava as mulheres mais bonitas do mundo na época. Todas eram balzaquianas.

Albery em sua participação especial em Dancin' Days
"Tanto no Brasil como no mundo, mulher é como borboleta", comentou o artista na reportagem. "Se eu te perguntar qual é a mulher mais bonita do mundo, você não vai saber responder. Tem sempre uma mais bonita. Tem detalhes importantes numa mulher, não dá pra dizer 'a mais bonita'. É uma questão de inspiração. A mulher tem que ter qualquer coisa que emane dela. Não é uma questão puramente física. Ela tem que ter alguma coisa que magnetize, entende?"

Albery sofria de depressão e morreu prematuramente aos 59 anos, em 2003.