Rita e Frida


Mais um post da série "capas de discos parecidas". Desta vez, são dois álbuns lançados no mesmo ano, com apenas alguns meses de diferença. Um no Brasil e outro na Suécia. Trata-se de Fruto Proibido (de Rita Lee) e Frida Ensam (de Frida Lyngstad). A semelhança entre as duas capas é visível. A ambience é a mesma. As duas beberam da mesma fonte, cada uma à sua moda. Coincidência? Acho bem provável que sim, já que nenhuma das duas cantoras tinha conhecimento uma da outra. Talvez o clima das duas capas represente o espírito daquela época específica, em que o glam rock começava a declinar e o mundo ainda não havia sido tomado pela disco music. É possível enxergar também um certo ar de 'independência' (talvez para enfatizar que as cantoras estavam em um LP solo). Tanto Rita quanto Frida aparecem bem à vontade, o que também deixa transparecer sensualidade.



Fruto Proibido



É o quarto álbum de Rita Lee e o segundo com a banda Tutti-Frutti. Com uma mescla de rock e pop, o disco trouxe vários sucessos que se tornariam definitivos na carreira da cantora. Agora só Falta Você, Esse Tal de Roque Enrow (co-escrito com Paulo Coelho), Luz del Fuego, Dançar pra não Dançar, além de Ovelha Negra, considerado o hino de Rita e provavelmente sua canção mais famosa, que a projetou como artista solo.

Produzido por Andy Mills (que fizera vários discos de Alice Cooper) e lançado pela Som Livre em junho de 1975, Fruto Proibido é considerado uma das obras-primas da história do rock nacional. Na época, vendeu 150 mil cópias, um recorde para um disco de rock brasileiro.

Luis Sérgio Carlini fez os arranjos do álbum, em parceria com Rita, e é o autor do solo de guitarra ao final de Ovelha Negra, que se tornou referência para os guitarristas brasileiros.


Frida Ensam



Segundo álbum solo da então vocalista do ABBA, Anni-Frid Lyngstad - mais conhecida como Frida -, lançado pela Polar Music em novembro de 1975. O nome do LP, Frida Ensam, quer dizer "Frida sozinha", em sueco. Produzido por Benny Andersson (noivo de Frida na época e um dos integrantes do ABBA) fez grande sucesso na Suécia, chegando a alcançar disco de platina pelas 130 mil cópias vendidas. 

Todas as músicas foram gravadas em sueco. O carro-chefe é Fernando, composta por Benny, Björn Ulvaeus e Stig Anderson (empresário do ABBA) exclusivamente para o álbum. As outras canções são covers. Destaque para as versões de Life on Mars? (Liv på Mars?), de David Bowie, The Wall Street Shuffle (Guld och gröna ängar), do 10cc, Wouldn't It Be Nice (Skulle de' va' skönt), dos Beach Boys, e Send in the Clowns (Var är min clown?).

Devido ao enorme sucesso de Fernando, Benny e Björn criaram para o ABBA a versão em inglês. Acreditavam na possibilidade da música se tornar um hit internacional se a canção fosse gravada em inglês, exatamente o que aconteceu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário